Tatuagens: uma arte em meio a cultura.

A história da tatuagem pode começar a ser definida como: rebelde. Durante a maior parte de seu contexto histórico a tatuagem foi considerada um ato de rebeldia, visto que por muitos anos, sua prática era marginalizada, pertencente principalmente as classes sociais consideradas mais imorais da sociedade, porém, após tantos de anos de evolução, hoje seu significado é visto de outra forma, como uma maneira de expressão artística.

Tatuagens na antiguidade.

A tatuagem tem algumas origens espalhadas por diferentes lugares do mundo, mas a mais antiga datada até hoje é de um corpo de um homem congelado descoberto na década de 90, apelidado pelos cientistas de “Ötzi”, sua idade é marcada como mais de 3000 anos a.c e em seu corpo foram encontradas diversas linhas espalhadas pela região das costas, tornozelos, punhos, joelhos e pés. Acredita-se que essas marcas tenham sido feitas a partir da fricção de carvão em cortes verticais na pele e após alguns estudos foram descobertas pequenas degenerações ósseas ao lado de cada tatuagem, o que levou os cientistas a crerem que a prática era realizada como uma espécie de tratamento para diminuir a dor.

Um pouco mais adiante na história, por volta de 2000 anos a.c, mulheres egípcias utilizavam as tatuagens como um processo cultural e religioso, como forma de saudar a deusa Bes, a deusa egípcia da fertilidade e da proteção dos lares. Após anos de estudos foram encontrados diversos desenhos abstratos nos corpos de múmias que revelaram esse propósito.

Romanos e Cruzadas.

Mais tarde, depois de Cristo, os romanos adotaram a prática como uma forma de marcar seus guerreiros bretões, que usavam insígnias de honra tatuadas na pele. Isso ajudou a aumentar a admiração pela bravura desses guerreiros e dos símbolos que eles carregavam na pele, uma curiosidade importante é que os médicos da época desenvolveram técnicas muito interessantes para aplicar e remover os desenhos.

Já na época das cruzadas nos séculos XI e XII, as tatuagens eram utilizadas para identificar soldados de Jerusalém, para que todos aqueles que tivessem uma tatuagem de cruz recebessem um enterro cristão apropriado após a morte.

Povos e tribos 

Apesar de se ter alguma idéia de quando a tatuagem surgiu no mundo ocidental, é difícil dizer com exatidão quando ela surgiu em meio aos povos e tribos que viviam isolados do mundo até terem contato com outras civilizações.

Algumas tribos que viviam no sul do Oceano Pacífico utilizavam as tatuagens como adereços culturais, já na Nova Zelândia, o povo Maori, utilizam as tatuagens como algo que vai muito além do estético, segundo as tradições polinésias, quanto maior for a posição social do homem, mais tatuagens ele terá no rosto, além de alguns aspectos para determinar a qual família é pertencente, diferente das demais tatuagens, as tattoo maori são feitas com base na história pessoal de quem é tatuado e representam um importante aspecto social e cultural. Em Borneo, localizado no sudeste asiático, os nativos costumavam tatuar um olho em mãos de pessoas falecidas, para que servisse como uma forma de guia espiritual para a próxima vida. 

A tradição oriental

A história da tatuagem no mundo oriental é uma das que possui mais difusões de todas, pois passou por diversas etapas até chegar aos dias atuais. No período Kofun (300 a 600 a.c) as tatuagens tinham um significado pejorativo e eram utilizadas para marcar criminosos como uma forma de identificar esses indivíduos em meio a sociedade e era considerada um sinal de grande vergonha por marcar membros de organizações criminosas. A prática só foi abolida em 1870, dando espaço para o desenvolvimento artístico das tattoos, porém anos mais tarde, a utilização de tatuagens passou a fazer parte e a ser relacionada a Máfia Yakuza, o que acabou induzindo a um preconceito que se estende até os dias atuais.

Diferentemente da prática ocidental de se utilizar máquinas para tatuar, no Japão, é conhecida uma técnica chamada “tebori”, uma forma de tatuar mais rudimentar, demorada e dolorida, feita totalmente a mão com uma ferramenta composta por agulhas de aço dispostas em fileiras, vinculadas a uma longa alça de bambu, que é reconhecida  pela capacidade de criar sutis gradações de tom que são difíceis de alcançar com uma máquina tradicional de tatuagem.

A tatuagem nos dias de hoje 

A difusão dessa cultura no meio ocidental trouxe inúmeras possibilidade e transformou a tatuagem em um tipo de expressão, que retrata ousadia e personalidades únicas de quem as carrega. Durante muitos anos sua existência foi marginalizada, porém hoje, se tornou uma forma de expressar a individualidade de cada um, não se limitando apenas a um determinado grupo ou faixa etária, e se tornando uma expressão da subjetividade.

 

Gostou do artigo? Visite a Tattoo Loja em: www.tatooloja.com.br